Anemia: como prevenir?

Departamento Cientifico de Pediatria Ambulatorial

  • É a redução do número de células vermelhas do organismo (hemácias), responsáveis pelo transporte de oxigênio pelo sangue. O organismo afetado não consegue suprir plenamente suas demandas fisiológicas.

  • A anemia por deficiência de ferro resulta da falta dessa nutriente no organismo. O ferro é essencial para o sistema nervoso central e o bom desenvolvimento cerebral, da memória e do aprendizado, assim como para o bom funcionamento do sistema imunológico, o crescimento e o desenvolvimento neuromotor. 

  • O tratamento da baixa no ferro circulante (hemoglobina) e nos estoques de ferro (ferritina) na infância é fundamental para a saúde. O acompanhamento deve iniciar pelo Pré-Natal, para que o feto receba esse nutriente. A mãe deve consultar um pediatra a partir da 32ª semana de gestação para saber como prevenir as anemias. Essa consulta faz parte do calendário oficial de consultas de rotina com o pediatra (puericultura).

  • Pelo aleitamento materno exclusivo até os 6 meses de vida. E até os 2 anos de idade ou mais, com parte da dieta alimentar. O pediatra deve ser consultado para orientar a mãe lactante se deve tomar um suplemento com ferro ou não.

  • A alimentação complementar deve iniciar aos 6 meses de idade, visando a oferta de alimentos ricos em ferro para o bebê. O ferro é encontrado em diversos alimentos: carne, miúdos, ovo, feijão, grão de bico, espinafre, couve etc. É recomendado consumir os diversos tipos de alimento para equilibrar as fontes de ferro.

  • Deve-se introduzir agentes facilitadores, como carnes e vitamina C, além de evitar os agentes inibidores da absorção do ferro como leite (cálcio e fósforo), refrigerantes, café e chás (tanino), fibras, fitatos (presentes nos vegetais), e oxalatos (presentes no espinafre e na beterraba). Cabe alertar que não adianta cozinhar a papa em panela de ferro ou colocar pregos no cozimento, pois eles contêm um tipo de ferro que não é absorvido pelo organismo. 

  • Fadiga crônica e desânimo, cansaço mesmo após pequenos esforços, pele e mucosas pálidas (descoradas), tonturas e sensação de desmaio, dores de cabeça e dores nas pernas, geofagia (vontade incontrolável de comer terra), queda de cabelo e unhas fracas e quebradiças, falta de apetite, sonolência, dificuldade de concentração e aprendizagem. Os sintomas devem ser apresentados a um pediatra, para diagnóstico.

  • O Manual de Alimentação da Sociedade Brasileira de Pediatria recomenda a suplementação do ferro medicamentoso nas idades críticas do desenvolvimento da criança. Somente o pediatra, nas consultas de puericultura, saberá o momento certo e a dosagem correta para o seu filho.

Nossos Endereços

SBP-Sede • R. Santa Clara, 292 - Rio de Janeiro (RJ) - CEP: 22041-012 • 21 2548-1999 

FSBP • Alameda Jaú, 1742 – sala 51 - São Paulo (SP) - CEP: 01420-002 • 11 3068-8595 

SBP-RS • Av. Carlos Gomes, 328/305 - Porto Alegre (RS) - CEP: 90480-000 • 51 3328-9270 / 9520