Associe-se

DC de Nefrologia lança documento científico com informações atualizadas sobre a infecção do trato urinário

canstockphoto24575345

“A infecção de trato urinário (ITU) ” é o tema de novo documento científico produzido pela Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP), que foi disponibilizado aos associados nesta semana. O trabalho traz informações atualizadas sobre o diagnóstico e tratamento de infecções bacterianas mais frequentes desse tipo que afetam crianças e adolescentes no Brasil. 

 “A importância do diagnóstico precoce da ITU é prevenir e minimizar a formação e progressão da cicatriz renal, principalmente no neonato e lactente mais suscetíveis à formação de cicatrizes que como consequência numa fase mais tardia poderão levar à hipertensão e/ou insuficiência renal crônica”, informa o texto.

O texto está disponível no site da SBP, podendo seu download ser feito apenas pelos sócios que estão em dia com o pagamento da anuidade. A mudança na forma de acesso aos documentos produzidos pelos DCs, que são relevantes instrumentos de formação e atualização dos pediatrias brasileiros, foi feita para valorizar o compromisso para com a entidade daqueles que têm cumprido com seus deveres.

O trabalho foi elaborado pelo Departamento Científico de Nefrologia da SBP, presidido pela dra  Nilzete Liberato Bresolin. Do grupo, ainda fazem parte a dra Lucimary de Castro Silvestre (secretrária) e os drs Anelise Uhmann, Arnauld Kaufman, Clotilde Druck Garcia e Rubens Wolfe Lipinski (membros do Conselho).

Para os especialistas responsáveis pela produção do documento, o melhor entendimento de sua fisiopatogenia da ITU, o advento da ultrassonografia fetal (detecção precoce de malformações), a investigação por imagem e a instituição terapêutica precoce melhoraram em muito o prognóstico dos pacientes.

A ITU consiste na multiplicação de um único germe patogênico em qualquer segmento do trato urinário, identificado por urocultura coletada por método confiável. É uma doença que acomete principalmente o sexo feminino podendo chegar a 20:1 casos, embora, do período neonatal até os seis meses de idade pode haver predominância no sexo masculino.

O aumento da incidência ocorre entre três e cinco anos de idade, havendo outro pico na adolescência, muito provavelmente devido às alterações hormonais (que favorecem a colonização bacteriana) e, em alguns casos, início precoce de atividade sexual. Tende à repetição podendo ocorrer novo episódio em cerca de 40% das pacientes. A recorrência é mais rara no sexo masculino.

A ITU ocorre quando estas bactérias ascendem à zona periuretral. Oitenta por cento das infecções urinárias adquiridas na comunidade são causadas pela E. coli uropatogênica (UPEC). Outros agentes estão listados são as seguintes bactérias: proteus,  klesbsiella, staphylococcus, saprophyticus, enterococcus, enterobacter e epidermidis, dentre outras.

Os sinais e sintomas na criança dependem principalmente da idade do paciente. Crianças menores apresentam sinais e sintomas mais inespecíficos. Febre é o sintoma mais frequente no lactente. A incidência de pielonefrite é maior em crianças menores de um ano e diminui gradativamente quando se aproxima da idade escolar podendo, porém, ocorrer em qualquer idade. Outros sinais e sintomas que nesta faixa etária devem ser levados em conta são:  irritabilidade, recusa alimentar, icterícia, distensão abdominal e baixo ganho ponderal.

O documento faz um importante alerta: “o diagnóstico e a terapêutica precoces são fatores principais para evitar a formação da cicatriz renal. Após os dois anos de idade aparecem sintomas mais relacionados ao trato urinário inferior tais como: disúria, polaciúria, urge-incontinência, enurese (em crianças que já apresentavam controle esfincteriano prévio) e tenesmo, quadros clínicos denominados, cistites. Importante observar que estes quadros podem evoluir para pielonefrite”.

Nossos Endereços

SBP-Sede • R. Santa Clara, 292 - Rio de Janeiro (RJ) - CEP: 22041-012 • 21 2548-1999 • Fax: 21 2547-3567 

FSBP • Alameda Jaú, 1742 – sala 51 - São Paulo (SP) - CEP: 01420-002 • 11 3068-8595 / 8618 / 8901 / 8675 • Fax: 3081-6892 

SBP-RS • R. Carlos Gomes, 328/305 - Porto Alegre (RS) - CEP: 90480-000 • 51 3328-9270 / 9520 

Memorial • Rua Cosme Velho, 381 - Cosme Velho (RJ) - CEP: 22241-125 • 21 2245-3110