Com apoio da SBP, oftalmologistas promovem 24 horas de ações online sobre os riscos do diabetes

O que o diabetes tem a ver com a visão? Tudo! Com o objetivo de esclarecer essa e outras dúvidas sobre a doença e de como proteger a saúde dos olhos, o Conselho Brasileiro de Oftalmologia (CBO) – com o apoio da Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP) e entidades parceiras – realizará, no dia 21 de novembro (sábado), uma maratona de atividades em suas mídias sociais.

Como parte da ação, o CBO produziu uma série de podcasts intitulada “24 horas pelo diabetes”, que aborda a temática sob a ótica de especialistas de diferentes áreas de atuação da medicina. O presidente do Departamento Científico de Endocrinologia da SBP, dr. Crésio Dantas Alves, foi um dos especialistas convidados. Ele gravou um programa especial sobre o diabetes na infância e na adolescência.

O programa, com duração de seis minutos, já está disponível para acesso gratuito no canal do CBO na plataforma Spotify, na página institucional Veja Bem (https://www.vejabem.org) e nas redes sociais do CBO.

CONFIRA OS PODCASTS DISPONÍVEIS

CALENDÁRIO – Esse ano, em função do calendário eleitoral, o CBO realizará seu esforço de mobilização uma semana depois da data oficial. Um dos principais temas a serem abordados nas conversas com especialistas está a retinopatia diabética, maior causa de cegueira em pessoas em idade laboral e uma das complicações frequentes no diabético. A prevalência é de 19% na população maior de 65 anos.

Além de palestras e debates, a ação contará com a participação voluntária de celebridades, influenciadores, como blogueiros e youtubers, e atletas que vão deixar recados sobre suas experiências com o diabetes e alertando sobre os cuidados de prevenção da doença. Entre os participantes engajados estão o jornalista e apresentador Alexandre Garcia, o chefe de cozinha Alex Atala, além de medalhistas olímpicos, como a jogadora de basquete, Magic Paula, e as atletas paraolímpicas Aline Rocha e Vanessa Cristina.

PANDEMIA – A estratégia de ação virtual foi adotada pelo Conselho Brasileiro de Oftalmologia em função da pandemia de Covid-19, que exige o respeito a protocolos de segurança para evitar a contaminação pelo coronavírus. Contudo, independentemente desse desafio, o CBO, que organiza o evento com o apoio de inúmeras outras instituições, confia no êxito da iniciativa.

A programação completa das atividades de 21 de novembro, com foco nas mídias digitais, ficará disponível na página do CBO. Também pode ser acessada no site do evento (www.24hpelodiabetes.com.br). Para acompanhar as atividades, basta se conectar no canal do CBO no Youtube, por onde ocorrerá a transmissão.

A DOENÇA – Também chama a atenção no Brasil que 50% das pessoas com diabetes, em especial os que estão na faixa etária de 55 e 74 anos, não sabem que têm o diagnóstico dessa doença. Com 16,8 milhões de pessoas com diabetes, o Brasil ocupa a quinta posição do ranking mundial, segundo o Atlas da Federação Internacional do Diabetes (IDF, em inglês).

Atrás apenas das doenças cardiovasculares e neoplasias, o diabetes é a terceira causa de óbitos no Brasil. Em 1990, ele ocupava a 11ª causa de morte entre os brasileiros. Devido ao seu caráter silencioso, o diabetes deveria receber atenção prioritária dos gestores públicos e privados de saúde, avaliam especialistas. Na maioria das vezes, ela manifesta sintomas apenas em estágios avançados de comprometimento, fato que contribui para o aumento de suas taxas de mortalidade e morbidade.

Além de impactar diretamente o dia a dia dos pacientes, o problema também é crucial para os cofres públicos, em função dos custos associados ao tratamento, que perdura ao longo de toda a vida do diabético. Entre os dez países com maior número de pessoas com diabetes e gastos em Saúde, o Brasil figura em segundo lugar, segundo o Atlas da Federação Internacional de Diabetes. Entre custos diretos e indiretos, em 2014, foram gastos US$ 15,7 bilhões no atendimento de brasileiros com diabetes.