DC de Neonatologia da SBP publica documento sobre uso de filtros bacterianos/virais para suporte respiratório

O Departamento Científico de Neonatologia da Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP) publicou nesta semana a nota de alerta "Uso de filtros Bacterianos/Virais nos equipamentos para suporte respiratório no Período Neonatal - Orientações Práticas". O objetivo do documento é orientar os profissionais de saúde acerca do uso desses filtros em ventiladores mecânicos e manuais, uma vez que, historicamente, sua utilização na prática neonatal é pouco comum, sendo escassos os dados a respeito da segurança e eficácia do seu uso nessa faixa etária.

CLIQUE AQUI E CONFIRA O DOCUMENTO NA ÍNTEGRA

Conforme explica a nota, as evidências existentes até o momento sugerem que a principal via de transmissão do novo coronavírus (COVID-19) seja por gotículas respiratórias e aerossóis ou contato com cuidadores infectados. É possível que muitos bebês infectados possam estar evoluindo de forma assintomática ou oligossintomática.

Portanto, diante desse quadro e com a preocupação de minimizar o risco de transmissão do vírus e infecção cruzada, as diretrizes internacionais e nacionais têm destacado a importância de instituir uma prática segura de proteção de contato com gotículas/aerossóis para os profissionais de saúde, em particular, para aqueles que manipulam as vias aéreas.

TIPOS – A nota aborda três nomenclaturas e tipos de dispositivos. O primeiro é o Heat and Moisture Exchangers (HME), que são dispositivos trocadores de calor e umidade, mais conhecidos como umidificadores passivos, que contêm uma membrana com capacidade de reter calor e umidade exalados e que são devolvidos ao paciente nos gases respiratórios administrados. No entanto, não possuem capacidade para reter partículas virais/bacterianas.

Já o segundo dispositivo mencionado são os filtros virais/bacterianos. Eles têm o objetivo de reduzir a dispersão de microrganismos e outras partículas excretadas pelas vias respiratórias do paciente para o meio ambiente. Eles são compostos por uma malha de fibras hidrofóbicas para evitar a penetração de partículas de água. Esses filtros podem ser mecânicos ou eletrostáticos.

O terceiro mecanismo é o Heat and Moisture Exchanging Filter (HMEF), que são filtros mecânicos ou eletrostáticos combinados, ou seja, apresentam funções de trocadores de umidade/calor e retenção de partículas virais/bacterianas.

ESCOLHA – A nota ressalta que o principal critério de escolha de tipo de dispositivo no período neonatal deve ser o de minimizar a dispersão de aerossóis potencialmente contaminados para o meio ambiente e, não, proporcionar a umidificação e aquecimento passivo do gás. Portanto, é recomendado que o dispositivo tenha a função principal de filtro respiratório viral/bacteriano.

"Os profissionais devem estar cientes de que cada tipo de dispositivo possui características inerentes de espaço morto, resistência e desempenho, com grande variação entre os fabricantes. Portanto, é importante sempre buscar as informações do filtro a ser utilizado nas especificações técnicas de cada produto", enfatiza o texto.

Além disso, o documento menciona, com base em informações de material de referência identificado até o momento, o tipo e cuidados com o uso de filtro. Conforme explica a nota, os bebês acometidos de COVID-19 e  que necessitam de suporte respiratório invasivo ou não invasivo representam uma ameaça adicional para os profissionais de saúde.

"O uso de filtros respiratórios constitui em apenas uma barreira de proteção para evitar a dispersão do vírus. Outras vias de disseminação podem estar presentes durante a ventilação, em particular, os vazamentos de gás em volta da cânula traqueal ou na interface entre a máscara e a face do paciente. Assim, é fundamental que todo esforço para proteção contemple um conjunto abrangente de intervenções, incluindo disponibilidade de salas de isolamento arejadas com adequação de suprimentos, uso correto (paramentação e retirada) de EPI, adequação dos processos de limpeza e desinfecção das salas e descarte dos materiais e equipamentos utilizados", conclui o documento. 


Eventos
Nossos Endereços

SBP-Sede • R. Santa Clara, 292 - Rio de Janeiro (RJ) - CEP: 22041-012 • 21 2548-1999 

FSBP • Alameda Jaú, 1742 – sala 51 - São Paulo (SP) - CEP: 01420-002 • 11 3068-8595 

SBP-RS • Av. Carlos Gomes, 328/305 - Porto Alegre (RS) - CEP: 90480-000 • 51 3328-9270 / 9520