Pediatras e Ministério Público debatem cobertura vacinal no Rio Grande do Norte

A presidente da Sociedade de Pediatria do Rio Grande do Norte (Sopern), dra. Kátia Correia Lima, participou de reunião na 62º Promotoria de Justiça de Natal para discutir estratégias destinadas a elevar os atuais índices de cobertura vacinal da região, em especial das imunizações para HPV, poliomielite e sarampo.

O encontro, no dia 29 de maio, contou com a presença da promotora de Justiça Iara de Albuquerque; da coordenadora do Centro de Apoio Operacional das Promotorias de Proteção à Saúde Pública, Kalina Correia Filgueir;  e do secretário Municipal de Saúde de Natal, George Antunes de Oliveira.

Durante a reunião, a presidente da Sopern expôs relatos recorrentes de pediatras locais a respeito da resistência encontrada para vacinar as crianças conforme indicam os protocolos preconizados pelo Ministério da Saúde.

“Algumas Unidades Básicas de Saúde (UBS) não têm realizado a aplicação da Pneumo 10 no segundo mês de vida, em conjunto com as vacinas da Poliomielite, Penta e Rotavírus. Os próprios agentes de saúde alegam que não há problema em diminuir uma aplicação injetável, naquele momento, pois pode ser feita no terceiro mês de vida. Conduta que não segue a orientação prevista no calendário vacinal”, lamentou a dra. Kátia Lima.

PROTOCOLO - Em resposta ao questionamento, a SMS informou que o protocolo operacional do Ministério da Saúde será reforçado junto às equipes de vacinação, para que o calendário vacinal seja cumprido integralmente, segundo as recomendações para cada faixa etária.

Além disso, a presidente da Sopern ressaltou a necessidade de sensibilizar a população em função dos baixos índices de cobertura das vacinas da Polio, Meningocócica e Tríplice Viral. Na oportunidade, dra. Kátia Lima defendeu ainda a importância de realizar a segunda dose do esquema vacinal para varicela de forma mais precoce do que o indicado no cronograma do Programa Nacional de Imunização (PNI).

“A recomendação atual da Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP) e da Sociedade Brasileira de Imunizações (SBIm) é que a aplicação ocorra três meses após a aplicação da primeira dose, que geralmente ocorre na idade de um ano e três meses. Aguardar até que a criança complete quatro anos é assumir um risco muito grande, se levarmos em consideração o que os pediatras têm constatado na prática clínica diária”, concluiu.


Eventos
Nossos Endereços

SBP-Sede • R. Santa Clara, 292 - Rio de Janeiro (RJ) - CEP: 22041-012 • 21 2548-1999 

FSBP • Alameda Jaú, 1742 – sala 51 - São Paulo (SP) - CEP: 01420-002 • 11 3068-8595 

SBP-RS • Av. Carlos Gomes, 328/305 - Porto Alegre (RS) - CEP: 90480-000 • 51 3328-9270 / 9520