SBP divulga nota de alerta sobre manifestações gastrointestinais por Covid-19

postado 06/05/2020

O Departamento Científico de Gastroenterologia da Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP) divulgou na última quarta-feira (3) a Nota de Alerta “COVID-19 e manifestações gastrintestinais: transmissão fecal-oral; há evidências?”. Segundo o documento, na atual pandemia, a maior parte da atenção ainda se concentra nos sintomas respiratórios da doença. No entanto, aponta o documento, o número de pacientes com a COVID-19 que apresentam diarreia é significativo.

ACESSE AQUI A ÍNTEGRA DA NOTA.

Os dados publicados até o momento demonstram que o sistema digestório e o fígado são órgãos suscetíveis à infecção pelo SARS-Cov-2 e que os indivíduos acometidos podem apresentar sintomas e sinais decorrentes provavelmente do comprometimento dos mesmos. A patogênese e os modos de transmissão têm sido as principais lacunas de conhecimento da COVID-19.

“Não dispomos de muitos dados referentes ao impacto da pandemia em pacientes pediátricos, no entanto as crianças podem apresentar sintomas gastrintestinais com frequência. A presença de sintomas digestivos varia de 5% a 50% em adultos e 10% nas crianças”, destacam os membros do DC de Gastroenterologia da SBP.

De acordo com o documento, a manifestação gastrintestinal mais comumente relatada na COVID-19 é a diarreia, seguida por dor abdominal, náuseas e vômitos. A prevalência da diarreia é descrita em 17% a 39,6% nos adultos11e em até 20% das crianças12, mas de acordo com a literatura, estes valores podem estar subestimados.

“O envolvimento gastrintestinal na COVID-19 e a presença do RNA viral em amostras fecais de pacientes apoiam a necessidade de se investigar melhor a importância da via fecal-oral na transmissão da doença. A carga viral necessária para a transmissão fecal-oral, ainda não é conhecida, mas o RNA do SARS-CoV-2 pode ser detectado nas fezes de pacientes assintomáticos ou com diarreia prévia”, diz trecho da nota.

O texto ressalta ainda que estes achados também chamam a atenção dos profissionais da saúde para o potencial risco de infecção durante procedimentos tais como endoscopia e ileocolonoscopia.

INVESTIGAÇÃO – Na atual pandemia, a maior parte da atenção ainda se concentra nos sintomas respiratórios da doença. No entanto, é importante enfatizar que o número de pacientes com a COVID-19 que apresentam diarreia é significativo. Acometimento de outros órgãos vem sendo descrito assim como quadros graves com choque e exacerbação de reposta inflamatória.

Embora a excreção viral pela via respiratória seja uma importante forma de transmissão, a hipótese de eliminação do vírus pela via fecal e a contaminação ambiental podem contribuir também para a transmissão viral e não podem ser negligenciadas. Medidas de precaução rigorosa quanto ao manuseio das fezes de pacientes infectados com coronavírus e adequado tratamento de esgotos, especialmente os hospitalares precisam ser reforçados.

“Como ainda não dispomos de dados de viabilidade do SARS-CoV-2 nas fezes, pesquisas futuras sobre a possibilidade da transmissão fecal-oral do SARS-CoV-2 precisam incluir também estudos ambientais com o objetivo de tentar determinar e conhecer a viabilidade viral em condições que favoreçam esse tipo de transmissão”, finaliza o documento. 

Informações atualizadas sobre o impacto da COVID-19 em Pediatria são disponibilizadas no novo site da SBP, disponível em: https://www.sbp.com.br/especiais/covid-19/


Eventos
Nossos Endereços

SBP-Sede • R. Santa Clara, 292 - Rio de Janeiro (RJ) - CEP: 22041-012 • 21 2548-1999 

FSBP • Alameda Jaú, 1742 – sala 51 - São Paulo (SP) - CEP: 01420-002 • 11 3068-8595 

SBP-RS • Av. Carlos Gomes, 328/305 - Porto Alegre (RS) - CEP: 90480-000 • 51 3328-9270 / 9520