SBP pede apoio do CFM e entidades médicas ao projeto quem amplia presença dos pediatras na Atenção Básica

A Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP) defendeu mais uma vez a definição de políticas públicas que aumentam a presença dos especialistas em crianças e adolescentes nos serviços da Atenção Básica, no País. O tema foi tratado em reunião organizada pela Conselho Federal de Medicina (CFM), que contou com a participação de lideranças de 42 entidades médicas e de especialidades. Na oportunidade, a presidente da SBP, dra Luciana Rodrigues Silva, pediu apoio a esse pleito, que deve apresentado ao ministro da Saúde, Marcelo Queiroga. 

Dra. Luciana para pedir apoio especificamente do CFM a esta reivindicação. “O pediatra precisa estar presente em todas as situações de atendimento, pois sabemos que há muitas doenças crônicas que têm origem na infância”, destacou. Ela ainda falou da preocupação da SBP com indicadores de produção e de cobertura assistencial que têm repercussão na saúde de crianças e adolescentes. 

COBERTURA - Entre os pontos que citou estão a queda na cobertura vacinal no Brasil, o que, segundo ela, pode resultar em novos surtos de sarampo e de meningite após a pandemia. A presidente da SBP também criticou a diminuição do número de leitos pediátricos nos últimos anos, inclusive durante a pandemia, a alta nos valores das medicações e o atraso de diagnóstico e referenciamento de patologias crônicas graves. “Precisamos lutar por condições melhores para nossas crianças e adolescentes, pois são eles o futuro do nosso País”, ressaltou dra. Luciana durante sua explanação.

Ao longo de aproximadamente três horas de debates, as lideranças médicas abordaram ainda temas importantes para o exercício da Medicina, como o desrespeito à Lei do Ato Médico (nº 12.842/2013), o desequilíbrio na relação entre médicos e planos de saúde e as falhas na infraestrutura de atendimento na rede pública. 

FORTALECIMENTO - “Hoje presenciamos um divisor de águas no movimento médico no Brasil”, afirmou o presidente do CFM, dr. Mauro Ribeiro, que coordenou o encontro. Na oportunidade, foi definido que todos os meses as entidades voltarão a se reunir para avaliar cenários, definir estratégias e implementar iniciativas que visem a defesa dos interesses da categoria e a proteção da saúde dos pacientes. Um grupo virtual também foi criado para troca de informações relevantes com repercussões na assistência e nas vidas da população e dos profissionais. 

“Esse encontrou mostrou o quanto precisamos uns dos outros. O Conselho Federal de Medicina é uma autarquia com grandes responsabilidades e diversas competências legais. Mas a verdade é que, juntos, somos mais fortes e podemos fazer muito mais pela saúde dos brasileiros. Neste sentido, o envolvimento da Associação Médica Brasileira (AMB) e da Federação Nacional dos Médicos (Fenam) é fundamental para essa unidade”, ressaltou dr. Mauro.  

PAUTAS COMUNS – Entre os pontos que foram abordados pelos dirigentes das entidades médicas há várias questões que exigem um olhar atento por conta de seu peso sobre a qualidade do atendimento. Críticas à falta de insumos e medicamentos foi uma das preocupações recorrentes nas explanações. Houve menções à dificuldade de acesso às órteses, próteses, sedativos, insumos para intubação e realização de exames de imagem, entre outros, que tiveram sua produção ou importação comprometidas pela pandemia.

As lideranças também demonstraram preocupação com a queda no número de consultas e de exames de rastreamento. Todos entendem que a urgência de se planejarem ações para retomada desses atendimentos, que têm sido prejudicados pela pandemia de covid-19. Dentre as soluções proposta para enfrentar esse desafio estão a realização de campanhas voltadas aos pacientes, especialmente aqueles com doenças crônicas, para que não abandonem tratamentos.

Com respeito à relação desequilibrada entre os médicos e as operadoras de planos de saúde, as lideranças defenderam a retomada de um canal direto de interlocução com a Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), instituição que tem a responsabilidade de evitar abusos e irregularidades no setor.  

ENTIDADES PARTICIPANTES DA REUNIÃO DO DIA 28/04/2021

Conselho Federal de Medicina (CFM)

Associação Brasileira de Alergia e Imunologia (ASBAI)

Associação Brasileira de Cirurgia Pediátrica (CIPE)

Associação Brasileira de Hematologia, Hemoterapia e Terapia Celular (ABHH)

Associação Brasileira de Medicina de Emergência (Abramed)

Associação Brasileira de Medicina de Tráfego (Abramet)

Associação Brasileira de Medicina Física e Reabilitação (ABMFR)

Associação Brasileira de Medicina Legal e Perícias Médicas (ABMLPM)

Associação Brasileira de Neurologia (ABN)

Associação Brasileira de Nutrologia (Abran)

Associação Brasileira de Otorrinolaringologia e Cirurgia Cérvico-Facial (ABORL-CCF)

Associação Brasileira de Psiquiatria (ABP)

Associação Médica Homeopática Brasileira (AMHB)

Associação Nacional de Medicina do Trabalho (ANAMT) 

Colégio Brasileiro de Cirurgia Digestiva (CBCD)

Colégio Brasileiro de Cirurgiões (CBC)

Colégio Brasileiro de Radiologia e Diagnóstico por Imagem (CBR)

Colégio Médico Brasileiro de Acupuntura (CMBA)

Conselho Brasileiro de Oftalmologia (CBO)

Sociedade Brasileira de Anestesiologia (SBA)

Sociedade Brasileira de Angiologia e de Cirurgia Vascular (SBACV)

Sociedade Brasileira de Cancerologia (SBC)

Sociedade Brasileira de Cardiologia (SBC)

Sociedade Brasileira de Cirurgia Cardiovascular (SBCCV)

Sociedade Brasileira de Cirurgia Oncológica (SBCO)

Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP)

Sociedade Brasileira de Cirurgia Torácica (SBCT)

Sociedade Brasileira de Clínica Médica (SBCM)

Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD)

Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia (SBEM)

Sociedade Brasileira de Endoscopia Digestiva (SOBED)

Sociedade Brasileira de Geriatria e Gerontologia (SBGG)

Sociedade Brasileira de Infectologia (SBI)

Sociedade Brasileira de Medicina de Exercício e do Esporte (SBMEE)

Sociedade Brasileira de Medicina de Família e Comunidade (SBMFC)

Sociedade Brasileira de Medicina Nuclear (SBMN)

Sociedade Brasileira de Neurocirurgia (SBN)

Sociedade Brasileira de Oncologia Clínica (SBOC)

Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia (SBOT)

Sociedade Brasileira de Patologia (SBP)

Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP)

Sociedade Brasileira de Pneumologia E Tisiologia (SBPT)

Sociedade Brasileira de Reumatologia (SBR)