Título de Especialista em Pediatria (TEP): SBP comemora aumento no número de aprovados no exame

Quase 80% dos candidatos que realizaram o exame para obtenção do Título de Especialista em Pediatria (TEP) neste ano foram aprovados. Ao todo, 1.108 receberão o título nos próximos meses. A Comissão Executiva do Título de Especialistas em Pediatria (CEXTEP) da Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP) comemorou o aumento no número de aprovados. Em 2016, quando 1.319 médicos concorreram, somente 572 foram aprovados, o equivalente 43% de aprovação.

Ao SBP em AÇÃO, o coordenador do CEXTEP, dr. Hélcio Villaça Simões, conta que, em 2017, a modificação no critério de avaliação dos candidatos contribuiu para esse aumento. Independentemente dessa mudança, ele atribui o alto índice de aprovação também ao excelente nível de conhecimento dos candidatos que realizaram as provas. “Mesmo se continuássemos a avaliar os candidatos da forma que fazíamos, quando ambas as provas não possuíam pesos diferentes, teríamos 833 aprovados neste ano, o que equivale a um índice de aprovação de quase 60%”, conta.

Na entrevista, o dr. Hélcio fala sobre quais conhecimentos são exigidos dos candidatos ao TEP e aborda os impactos positivos que o aumento no número de médicos aprovados no exame trará para a pediatria brasileira. Além disso, ele aborda ainda o reflexo que isso trará na melhoria da qualidade no atendimento às crianças e adolescentes em todo o País.  

SBP em Ação – Em 2016, o índice de aprovação dos candidatos ao TEP foi de 43%. Neste ano, esse índice quase dobrou: 78%. A que se deve esse alto índice de aprovação? Houve mudanças na forma de avaliação dos candidatos?  

Dr. Hélcio Villaça Simões – Analisamos a prova do ano passado e, após uma reunião entre os membros da CEXTEP, resolvemos dar pesos diferentes às provas objetiva e dissertativa. É importante frisar, antes de tudo, que a prova dissertativa avalia habilidades e competências que a prova objetiva não consegue avaliar, ou seja, essa é a prova mais importante do ponto de vista de avaliação. Resolvemos então dar peso 4 para a prova objetiva (teórica) e peso 6 para a prova dissertativa (teórico-prática). Com a introdução dos pesos diferentes paras as provas, chegamos a 1.108 aprovados, o que corresponde a 79% dos candidatos. No entanto, destaco que independentemente dessa alteração no critério de avaliação, ainda assim neste ano teríamos um alto índice de aprovação nessa no TEP. Mesmo se continuássemos a avaliar os candidatos da forma que fazíamos, quando ambas as provas não possuíam pesos diferentes, teríamos 833 aprovados, o que equivale a um índice de aprovação de quase 60%. Isso demonstra que os candidatos que realizaram o exame nesse ano foram mais eficazes nas provas e com excelente nível de conhecimento em pediatria. Ressalto ainda que a Comissão sempre tem o cuidado de colocar nas provas questões mais relevantes para a pediatria.

SBP em Ação – Que tipos de conhecimentos na área pediátrica a Comissão costuma cobrar dos candidatos?

HVS – Na prova objetiva, colocamos questões referentes aos temas básicos da pediatria, que envolvem as áreas de Neonatologia, Adolescência, Pediatria Ambulatorial, Cuidados Primários, Imunizações, Aleitamento Materno, Segurança da Criança e do Adolescente, Pediatria do Desenvolvimento e Comportamento, Bioética, Defesa Profissional e questões das subespecialidades pediátricas. Ou seja, na prova objetiva, 70% das questões envolvem a área básica da pediatria e 30% das chamadas áreas das subespecialidades pediátricas, como Endocrinologia, Reumatologia, Genética, Pneumologia, Alergia e Imunologia, dentre outras. Buscamos sempre fazer uma prova bem ponderada. Na dissertativa, introduzimos questões relevantes da pediatria. Nesse ano, por exemplo, tiveram perguntas sobre o autismo; cuidados com o recém-nascido na sala de parto; alimentação do lactente em relação ao aleitamento materno; desmame; introdução de alimentos complementares; suplementação de vitaminas; Síndrome Respiratória Aguda por H1N1, que é um tema de Infectologia importante e todos os pediatras devem estar atentos a isso; criança com diarreia com Terapia de Reidratação Oral, quando fazer, como se faz a terapia, quando é alterado ou não. Ou seja, são cobradas questões relevantes da especialidade e que podem ser encontradas nas normas do Ministério da Saúde.

SBP EM AÇÃO – Qual é o impacto esse aumento no número de médicos com o TEP trará para a pediatria brasileira e como isso influenciará na melhoria do atendimento às crianças e adolescentes? Por que é importante para a SBP ter mais médicos especialistas?

HVS – Sem dúvida isso traz um impacto positivo, pois o Título de Especialista em Pediatria da SBP, em parceria com a Associação Médica Brasileira (AMB), é valorizado e tem sido muito solicitado no mercado de trabalho, assim como o Certificado de Área de Atuação, no momento da contratação de pediatras para assumir cargos de chefia em determinados locais. Para a SBP, é extremamente importante termos mais colegas especialistas, pois qualificamos melhor os pediatras. Essa é a nossa missão: avaliar e qualificar os colegas para que possam prestar com mais eficiência a assistência às nossas crianças e adolescentes. E quem é aprovado nessa prova, certamente estará mais bem preparado para realizar esse tipo de assistência.

SBP EM AÇÃO – A partir de quando os aprovados receberão os certificados?  

HVS – Existe um prazo para o recebimento dos certificados, pois a emissão é feita pela AMB. Em média, os aprovados receberão os certificados em torno de 120 dias, após a publicação do resultado final, depois de pagarem o boleto do certificado emitido pela AMB.

CONFIRA AQUI O RESULTADO DO TEP 2017


Eventos
Nossos Endereços

SBP-Sede • R. Santa Clara, 292 - Rio de Janeiro (RJ) - CEP: 22041-012 • 21 2548-1999 

FSBP • Alameda Jaú, 1742 – sala 51 - São Paulo (SP) - CEP: 01420-002 • 11 3068-8595 

SBP-RS • Av. Carlos Gomes, 328/305 - Porto Alegre (RS) - CEP: 90480-000 • 51 3328-9270 / 9520