carregando...

Maceió adere à Campanha Nacional ‘Não Bata, Eduque’

Arquivo 26/08/2013

terça-feira, 20 de agosto de 2013

O Município de Maceió aderiu nesta terça-feira, dia 20, à Campanha Nacional ‘Não Bata, Eduque’. A secretária municipal de Assistência Social, Juliana Vergetti participou da 11ª edição do Encontro Tecendo Parcerias, onde assinou o Termo de Adesão da Rede, que tem o objetivo de discutir as ações e formar comissões regionais de combate os castigos físicos e humilhantes de crianças e adolescentes.

A partir da adesão, a Secretaria Municipal de Assistência Social (Semas) vai desenvolver uma série de ações e atividades de conscientização e orientação de todos os integrantes da rede socioassistencial para combater este tipo de ação.

Durante evento, realizado no Palácio República dos Palmares, a Coordenação Nacional da Rede Não Bata, Eduque, em parceria com a Secretaria de Estado da Mulher, da Cidadania e dos Direitos Humanos, apresentou relatos de cada entidade que trabalha com a Rede sobre a luta em favor da não agressão física aos menores.

A secretária Juliana Vergetti destacou a importância do trabalho integrado da Assistência Social de Maceió com os demais órgãos que trabalham diretamente com os direitos das crianças. “Estamos comprometidos com uma causa. É uma luta de conjuntos onde ninguém pode falhar. Todos devem estar engajados e a partir de agora é avançar mais e mais. Não é tarefa de apenas um órgão, mas de todos nós”, disse.

Márcia Oliveira, coordenadora nacional da Rede ‘Não Bata, Eduque’, falou sobre os avanços das ações em Alagoas. “Estamos trabalhando desde 2006 e as atividades no Estado vêm se intensificando. Mas estamos reunidos aqui para fortalecer e formar um vínculo maior para esse projeto. Decidir, formalizar e organizar nosso comitê regional”, falou Márcia.

A Rede ‘Não Bata, Eduque’ promove a mobilização social promovendo a reflexão sobre o uso de castigos físicos e humilhantes em crianças e adolescentes. A ação se dá através da conscientização da sociedade sobre o direito das crianças terem sua dignidade e integridade física respeitadas, com uma educação livre de violência e baseada em estratégias disciplinares positivas.

Para atingir este objetivo a Campanha trabalha com um enfoque positivo e não culpabilizador dos pais, ou seja, reconhecendo que a educação dos filhos é uma tarefa difícil e complexa para a qual propõe formas educativas que não utilizam a violência física e psicológica e que promovem o desenvolvimento físico, emocional e social dos filhos de forma saudável e participativa.

Durante o encontro, houve a apresentação da Campanha Nacional Não Bata, Eduque, discussões sobre as estratégias de mobilização e formação do Comitê Local para planejamento das atividades em prol da erradicação dos castigos físicos e humilhantes contra crianças e adolescentes e a assinatura do termo de compromisso com os princípios do artigo 191 da Convenção das Nações Unidas Sobre os Direitos da Criança.

Para Kátia Born, secretária de estado da Mulher, o Estado deve articular e o Município executar as normas de capacitação dos conselheiros tutelares, que são os profissionais que estão diretamente ligados aos casos de agressão. “Vamos trabalhar na capacitação dos nossos conselheiros. Vamos investir em políticas que a gente vê que dá certo. Estão dentro delas nossos coringas”, falou Kátia.

Além de representantes da Semas, participaram da apresentação sobre a Rede conselheiros tutelares de todo o estado, profissionais dos Centros de Referência Especializados de Assistência Social (CREAS), educadores e assistentes sociais. Participaram também do 11º Encontro Tecendo Parcerias o superintendente da criança e presidente do Conselho Estadual da Criança e do Adolescente (CEDCA), Cláudio Soriano;a representante da Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP), Rachel Niskier;Amparo Torres, da Rede Estadual Primeira Infância de Alagoas (REPI/AL); e a representante da Corregedoria Geral de Justiça, juíza Fátima Pirauá.