carregando...

SBP e CFM querem trazer de volta à família a criança desaparecida

SBP em Ação 22/05/2015

crianca-desaparecida

Mais de 50 mil crianças desapareçam no Brasil por ano; e já são cerca de 250 mil casos ainda não solucionados. A estimativa, a partir de dados da ONU, integra o alerta do Conselho Federal de Medicina (CFM) na campanha que tem apoio da Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP) e que, na próxima segunda-feira, 25, Dia Internacional da Criança Desaparecida, contará com atividades em todo o país.

“A situação é da maior gravidade e muito nos preocupa. É importante a atenção cotidiana dos pediatras. Queremos diminuir os números, despertar as famílias para a possibilidade de que essa tragédia ocorra”, salienta Rachel Niskier Sanchez, coordenadora de campanhas da SBP. “Peço o engajamento de cada colega nessa batalha”, frisa o presidente da Sociedade, Eduardo Vaz.

Mobilização no dia 25

Na próxima segunda-feira, os Conselhos Regionais de Medicina realizam visitas a hospitais, para sensibilizar médicos e população. Em Belo Horizonte, a Sociedade Mineira de Pediatria (SMP) e o CRMMG promovem panfletagem de 7 às 8h da manhã, na Praça da Liberdade. Em seguida, às 10h, o encontro será no Hospital João XXIII, pronto-socorro policial onde há, na sala de espera, um grande mural com fotos de crianças desaparecidas no município. A informação é da presidente da SMP, Raquel Pitchon. No último dia 16, reunida com suas filiadas em São Paulo, a SBP aprovou o estímulo à criação de painéis similares em todo o país, nas instituições públicas e privadas de pronto-atendimento e nos eventos médicos. Em outubro, será a vez do Congresso Brasileiro de Pediatria, que ocorre do dia 12 até 16, no Rio de Janeiro (Riocentro).

Busca imediata e violência

Um dos objetivos das entidades é divulgar a Lei federal nº 11.259/2005, conhecida como a da “busca imediata”, que prevê que a procura pela criança comece logo a partir da ocorrência policial. O médico deve também observar como seu paciente se comporta com o acompanhante, se demonstra medo, choro, aparência assustada, se tem marcas de violência interpessoal. Essas são algumas das recomendações do CFM, que o pediatra precisa conhecer. Além disso, a SBP pede que cada um divulgue a prevenção para as famílias dos seus pacientes. Leia, a seguir:

Para a prevenção do desaparecimento

  1. Desde cedo, ensine à criança o nome completo do pai e da mãe;
    2. Tire o RG (Registro de Identidade Civil) da criança o quanto antes;
    3. Oriente a criança a não dar informações a qualquer estranho que se aproxime;
    4. Oriente a criança a não receber doces, balas e brinquedos de desconhecidos;
    5. Garanta que a criança esteja sempre acompanhada de alguém de confiança da família;
    6. Converse sempre com seus filhos;
    7. Procure conhecer as pessoas que convivem com seus filhos, participe ativamente dos eventos que os envolvem, como aqueles ocorridos em escolas e aniversários;
    8.    Não autorize a criança a brincar na rua sem a supervisão de um adulto conhecido;
    9.    Faça com que as pessoas que necessitam de atenção especial e vivem sob sua responsabilidade tenham sempre consigo (no bolso ou gravados em uma medalha) seus dados de identificação;
    10.  Fique atento em como seus filhos utilizam computadores com acesso à internet.

Como proceder em casos de desaparecimento

– Comunicar imediatamente à polícia o desaparecimento de uma criança ou adolescente, para que as buscas sejam iniciadas o mais rapidamente possível;

– Denunciar para o Disque 100. A ligação é gratuita e o serviço funciona 24 horas.

Informações úteis

www.desaparecidos.gov.br

www.criancasdesaparecidas.org

www.maesdase.org.br

acoessociais@portalmedico.org.br

 

cfm-apoio