Associe-se
Ensino de Pediatria na Graduação

Rosana Fiorini Puccini

Angelica Maria Bicudo

Rosana Alves

Silvia Wanick Sarinho

Suzy Santana Cavalcante 


Os avanços das ciências, sobretudo do século XX, determinaram mudanças significativas no perfil de morbidade e mortalidade das populações de todos os países do mundo. Em decorrência desses avanços, sobretudo na biologia, genética e imunologia, as últimas décadas foram marcadas pelo desenvolvimento de novas abordagens na promoção à saúde, prevenção, diagnóstico e tratamento de muitas doenças. Conceitos de saúde, doença, vida permanecem em debate e o equilíbrio entre a objetividade das ciências biológicas e as dimensões socioculturais e da subjetividade das pessoas, presentes também em todo esse processo, constitui um caminho sempre a percorrer. A contribuição das ciências humanas – sociologia, antropologia, psicologia – na investigação de problemas de saúde permitiram maior compreensão e ampliaram as possibilidades de atuação frente às complexas questões da contemporaneidade, como cyberbulling, consequências do trabalho infantil na saúde de crianças e adolescentes, violência doméstica e outros. Sentimentos e valores dos pacientes, de seus familiares e dos profissionais estão envolvidos para a tomada conjunta de decisões, estabelecendo uma relação dialógica e de reconhecimento do outro como sujeito.

A pediatria apresenta, adicionalmente, algumas particularidades – o acompanhamento do crescimento e do desenvolvimento, as mudanças e especificidades observadas do recém-nascido à adolescência, a relação médico – paciente que inclui quase sempre a mediação do adulto (em geral a mãe), as diferentes linguagens que compõem a comunicação.

O ensino de Pediatria no início do Século XXI

No final do século XIX havia no país apenas três escolas médicas. A constituição forma da pediatria como especialidade surge nesse período, em 1881, com a fundação da Policlínica Geral do Rio de Janeiro, por iniciativa de Carlos Arthur Moncorvo de Figueiredo. Deve-se a ele, também, a criação da cadeira de Clínica de Moléstias de Crianças na Escola de Medicina do Rio de Janeiro, em 1882. Em justificativa ao Governo Imperial para a criação dessa cadeira, Moncorvo Figueiredo destacava a frequência das moléstias infantis, a letalidade dessas moléstias e, principalmente, os avanços sobre essas doenças e a necessidade de médico com conhecimentos específicos das patologias de crianças.

Leia mais...

Premissas/Diretrizes:

O ensino da Pediatria, ou melhor, o processo de ensino-aprendizagem da pediatria na graduação em medicina, busca atualmente alcançar as competências necessárias para o egresso do curso médico realizar um bom atendimento à criança e ao adolescente.

Em 2002, a Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS) organizou o estudo “Ensino de pediatria em escolas de medicina da América Latina”, com participação da Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP), com levantamento de dados nas Unidades de Pediatria de 194 escolas médicas. 

Leia mais...

Competências a serem adquiridas pelo estudante de medicina na área de pediatria durante o curso de graduação

 OBS: Toda atividade do estudante deverá ser realizada sob supervisão.


Documento elaborado pelo Grupo Graduação/SBP
Outubro de 2017


Nossos Endereços

SBP-Sede • R. Santa Clara, 292 - Rio de Janeiro (RJ) - CEP: 22041-012 • 21 2548-1999 

FSBP • Alameda Jaú, 1742 – sala 51 - São Paulo (SP) - CEP: 01420-002 • 11 3068-8595 / 8618 / 8901 / 8675 • Fax: 3081-6892 

SBP-RS • R. Carlos Gomes, 328/305 - Porto Alegre (RS) - CEP: 90480-000 • 51 3328-9270 / 9520 

Memorial • Rua Cosme Velho, 381 - Cosme Velho (RJ) - CEP: 22241-125 • 21 2245-3110