carregando...

Em defesa das crianças. SBP diz não ao Decreto nº 8.497!

Comunicações Públicas 10/08/2015

logo sbp vertical

A SBP não aceita que às crianças e adolescentes pobres seja oferecida uma medicina de segunda categoria. Por isso, a entidade critica duramente o Decreto nº 8.497 da Presidência da República, publicado no Diário Oficial no último dia 05 e que pode levar a que profissionais que não conhecem a realidade do País sejam os responsáveis pelo atendimento pediátrico.

Desde 1910 pediatras como Fernandes Figueira atuam para a melhor formação na nossa área. Nos últimos tempos, a Sociedade Brasileira de Pediatria caminhou em conquistas exponenciais na formação da pediatria, com a ajuda e a devida pressão internacional. Há anos vimos propondo e recentemente obtivemos a grande vitória que foi a aprovação da Residência Médica em Pediatria de três anos no Brasil. Também vimos lutando e agora já são 33 os Programas que seguem o Currículo Pediátrico Global elaborado pelo consórcio mundial cuja sigla é GPEC e tem a Sociedade dentre suas instituições líderes.

Não é a primeira vez que o Governo subestima a importância do atendimento médico e o pediátrico realizado no País. Isso já ocorre no programa “Mais Médicos” e muito antes até, na Estratégia Saúde da Família, conforme vem sendo implantada há tantos anos, de maneira equivocada e sempre bem diferente do que ocorre nos países que deram origem ao método.

Ninguém atualmente ignora que é preciso diagnosticar a tempo crianças e adultos, corrigir com segurança, oferecer crescimento e desenvolvimento físico e mentais saudáveis para os pequenos, proporcionar gestações, adolescentes e adultos que possam construir presente e futuro com saúde.

Sem profissionais devidamente qualificados e preparados para enfrentar a realidade brasileira, o prognóstico torna-se sombrio. Não podemos ter mais tempo perdido, novamente. A razão da mais recente mudança não pode ser a qualidade do atendimento ou da formação, nem seguramente resultará em benefício para a população. Mesmo a Economia do País não será ajudada com este corte tenebroso. A SBP conclama os pediatras e as famílias a impedirmos juntos mais este desrespeito!

ass_dr_eduardo

Eduardo da Silva Vaz

Presidente da Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP)